Manual Therapy, Posturology & Rehabilitation Journal
http://mtprehabjournal.com/article/doi/10.17784/mtprehabjournal.2014.12.178
Manual Therapy, Posturology & Rehabilitation Journal
Case & Study

Assessment of the strength of the pelvic floor musculature in women who practice Mat Pilates.

Diniz, Marklana de Frota; De Vasoncelos, Thiago Brasileiro; Pires, Juliana Lerche V. R.; Nogueira, Marineide Meireles; Arcanjo, Giselle Notini

Downloads: 1
Views: 414

Abstract

Introduction: The Pilates Method is a program of physical and mental training that works the body as a whole, aiming to gain muscle strength, mainly at the central region formed by the abdominal muscles, spine and pelvic floor, and to promote stretching and flexibility. Objective: To investigate the effects of this technique in the pelvic floor muscle activity, noting the type of fiber was more work during the practice of this activity in soil (Mat Pilates). Methodology: It was a character study of interventional, observational, descriptive, conducted during the months from March to May 2011, in which six women aged between 35 and 65 years, who underwent Mat Pilates classes twice a week, was rated the strength of pelvic floor, by Perina® perineometer pressure before and after eight classes. Results: It was observed that all the volunteers had increased the muscle strength in both types of muscle fibers, and 84% (p < 0.05) had greater gain in Type 2 fibers. Conclusion: The Mat Pilates influences in the increase of the pelvic floor muscle strength it and can be used to prevent dysfunction of these muscles.

Keywords

Pilates, Strengthening, Pelvic Floor

References

 


1. Wilson D. Pilates Provides Effective Rehabilitation for Both Body and Mind. Advance News Magazines. 2005.

2. Stanmore T. Pilates para as costas. São Paulo: Manole; 2008.

3. Machado CANR. Efeitos de uma abordagem fisioterapêutica baseada no método Pilates, para pacientes com diagnóstico de lombalgia, durante a gestação. Fisioter Bras. 2006; 7(5).

4. Dillman E. O pequeno livro de Pilates: guia prática que despensa professores e equipamentos. Rio de Janeiro: Record; 2004.

5. Mattos R, Samano T. Intervenção do Pilates na Reeducação Postural - Estudo de Caso. 2005. Disponível em: http://www.fisiometer.com.br/artigos/Intervencao_do_Pilates_na_Reeducacao_Postural.pdf. Acesso em 28 Mar 2014.

6. Nolasco J, Martins L, Berquo M, Sandoval RA. Cinesioterapia no fortalecimento muscular do assoalho pélvico feminino. Fisio & Terapia. 2007 Mai-Jun.

7. Camarão T. Pilates no Brasil: corpo e movimento. Rio de Janeiro: Elsevier; 2004.

8. Muscolino JE, Cipriani S. Pilates and the “powerhouse”. Journal of bodywork and movement therapies 2004;8:15- 24.

9. Neumann D, Gill V. Pelvic floor and abdominal muscle interaction: EMG. A activity

10. and intra-abdominal pressure. Int. Urogynecol. 2007;13:125-132.

11. Hilberath EC. Exercícios perineais supervisionados e cone vaginal no tratamento de incontinência urinária de esforço. [periódico na Internet]. 2006 [acesso em 20 Mar. 2011]. Disponível em: < www.biblioteca.unesp.br>.

12. Lemos AM, Feijó LA. A biomecânica do transverso abdominal e suas múltiplas funções. Fisioter Bras. 2005;6(1):66- 70.

13. Silva IPP, Santos MTB, Borges J. Técnica de pilates no tratamento da incontinência urinaria em mulheres idosas. [periódico na internet]. [Acesso em 15 out. 2010]. Disponível em: http://www.atelierdocorpoba.com.br/pdf/tec_ pilates.pdf.

14. Rett MT, Simões JA, Herrmann V, Marques AA, Morais SS. Existe diferença na contratilidade da musculatura do assoalho pélvico feminino em diversas posições?. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia 2005;27(1):12-9.

15. Andrezza EI, Serra E. A influência do método pilates no fortalecimento do assoalho pélvico. [periódico na Internet]. [acesso em 17 out. 2010]. Disponível em:
16. Moreira SFS, Girão MJBC, Sartori MGF, Baracat EC, Lima GR. Mobilidade do colo vesical e avaliação funcional do assoalho pélvico em mulheres continentes e com incontinência urinária de esforço, consoante o estado hormonal. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia 2002;24(6):365-70.

17. Beuttenmüller L, Cader SA, Macena RHM, Araujo NS, Nunes EFC, Dantas EHM. Contração muscular do assoalho pélvico de mulheres com incontinência urinária de esforço submetidas a exercícios e eletroterapia: um estudo randomizado. Fisioterapia e Pesquisa 2011;18(3):210-6.

18. Brasil. Resolução CNS n.º 196, de 10 de outubro de 1996. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, n. 201, p. 21 082, 16 out. 1996. Seção 1.

19. Matheus LM. Influência dos exercícios perineais e dos cones vaginais, associados à correção postural, no tratamento da incontinência urinária feminina. Rev Bras Fisioter. 2006;10(4):387-92.

20. Bernardes NO, Péres FR, Souza ELBL, Souza OL. Métodos de Tratamento Utilizados na Incontinência Urinária de Esforço Genuína: um Estudo Comparativo entre Cinesioterapia e Eletroestimulação Endovaginal. Rev Bras Ginecol Obstet. 2000;22(1):49-54.

21. Camarrão S. Avaliação da eletroestimulação na terapia da incontinência urinária de esforço feminina. Rev Bras Ginecol Obstet. 2003;14(4):166-69.

22. Moreno AL. Fisioterapia em Uroginecologia. São Paulo: Manole, 2002.

23. Moreira ECH, Arruda PB. Força muscular do assoalho pélvico entre mulheres jovens e climatéricas. Semina: Ciêcias Biológicas da Saúde. 2010;31(1):53-61.

24. Serpa RCC. Estudo comparativo da atividade muscular do assoalho pélvico entre mulheres praticantes de Pilates e sedentárias [Monografia]. Fortaleza: Faculdade Integrada do Ceará; 2009.

25. Jesus ES, Boas ECCV. A fisioterapia na incontinência urinária da mulher idosa. Fisioter Bras. 2010;11(4):287-92.

26. Souza CEC, Lima RM, Bezerra LMA, Pereira RW, Moura TK, Oliveira RJ. Estudo comparativo da função do assoalho pélvico em mulheres continentes e na pós menopausa. Rev. Bras. Fisioter. 2009;13(6):535-41.

27. Caetan AS, Tavares MCGCF. Proposta de atividade física em mulheres com incontinência urinária de esforço. Rev. Digital-Buenos Aires. 2004 set; 76. Disponível em http://www.efideportes.com.

 

588167d17f8c9d710a8b457d mtprehab Articles
Links & Downloads

Man. Ther., Posturology Rehabil. J.

Share this page
Page Sections